segunda-feira, 29 de agosto de 2011

À Flor Anônima (Aniversário)

Hoje é da flor anônima que quero falar.
Da flor que se abre para mim todas as manhãs,
Conversa enquanto busco uma ação meio ao anseio.
Sempre de ar acolhedor, nunca soube retribuir.

Tanta fidelidade, tanto amor.
A flor me transborda.
A flor não se importa.
Atira-me toda sua ternura.

Busco-a assim que acordo.
Noto qualquer pétala amassada,
Colo, recolo uma raiz quebrada.

Não entenderão nada de nada.
Porque só a flor entende
A palavra derramada.

(Ana Gabriella)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!