sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Do não querer



Quanto já não disse não
Não mais, não mais!
Eu disse não!

Ah quanto já não disse!
E lavo a minha vergonha.
Eu disse sim.

E quanto mais eu tenho tempo
Mais insigne a consciência:
Eu disse não sei, apenas.

Repito-me negando!
Eu tenho esse direito.
Eu acredito e, sem querer:

Eu digo sim! digo nunca!
Nunca mais, eu digo!
Não vou mais dizer.




6 comentários:

  1. Quantos nãos desses têm suas razões de serem... apenas não. Abraço com carinho amiga Mima. Grata por sua visita de retorno a minha presença por aqui. Lou Moonrise.

    ResponderExcluir
  2. Esqueci de te dizer mais cedo: eu tinha pensado em alguns versos sobre esses nossos quereres confusos ontem mesmo! Quase postei e desisti. E que bom, porque tu falou sobre tudo que sinto de uma forma muito mais poética. *-* Vou copiar pra mim. :)


    Beijoo, Mima

    ResponderExcluir
  3. Mima,

    Entre o sim e o nunca... é tão curta a distância, é tão breve o tempo!

    Beijos,
    AL

    ResponderExcluir
  4. desejos quereres afins
    que se dizem assim
    de fato, entre nãos e sins,
    nada querem enfim

    belo poema
    abs

    ResponderExcluir
  5. Muito obrigada, Mima!
    sigo voce de volta
    Beijos :*

    ResponderExcluir

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!