quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Bifurcação

"Amar é guardar a fé dentro da esperança e a admiração dentro do amor." 
Fabrício Carpinejar




A poeira pisada se atordoa:
Rebelião da terra vitimada
Que comigo se afeiçoa.

Lágrimas regando a areia
Eu lembro das promessas
Pela estrada, à beira.

Certo que perdi a hora
O rumo, o prumo e as mãos.
Caminho no agora, agora.

E mesmo em face da solidão
Em fuga do meu domínio
Recorda-te ainda minha canção.

3 comentários:

  1. "A poeira pisada se atordoa", que belíssimo verso. O poema todo tem um bom ritmo. Somos convidados a caminhar contigo, e desafiar as lágrimas que secam nesta terra batida.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. E esse chão, esse caminho de terra batida, pra onde leva?
    Lugar nenhum?
    Ou onde as lágrimas deixarão de regar essa estrada?
    Belos e belos versos.
    Você tem futuro sim.
    ^^

    ResponderExcluir
  3. Certo que perdi a hora
    O rumo, o prumo e as mãos.
    Caminho no agora, agora.

    E mesmo em face da solidão
    Em fuga do meu domínio
    Recorda-te ainda minha canção.


    Perfeito Mima! Bravo, Bravíssimo! Ganhei o dia de hoje com tamanha sensibilidade!! Muito obrigada!

    ResponderExcluir

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!