quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Linhas


...nossos destinos desenhando espirais...
Márjorie Estiano
Dei voltas e voltas. Esbarrei.
Algumas vezes, tentando fugir.
Outras vezes, querendo mesmo esbarrar.
Menti pra mim.
Eu queria acreditar.
Acreditei.
Mas hoje? Hoje os espirais parecem se desfazer...
Como duas linhas desenroladas
Seguindo na losa, sem fim.
Sem fim...
Até que venha um novo começo
Quando surgir o despontar de um novo dia
E o sol anuncie o tempo
De acordar do sonho
Que acreditei real.
Sonho. Apenas.
Mas o sol vem...
E vai ser um bom dia.
Um dia bom, um novo dia!
Quem sabe as linhas se encontrem
Sem desencontros mais
Como eram os velhos espirais...
Quem sabe se unam e sejam uma
Descobrindo paz...
Quem sabe, não.
Quem sabe encontrem no infinito
Outras linhas.
Quando surgir novo dia
Quem diria que isso eu diria
A gente vai ver...
Bom dia, meu bem, bom dia...
Amo você, meu bem, quem diria..

Faz tempo...

uau! Como faz tempo que não escrevo nada aqui...
Bom, estar de férias me dá certo sentimento de liberdade e isso me faz querer ficar realmente livre, rsrsrs! Livre de obrigações, de hábitos, de tudo. Mas, me deu uma vontade de escrever hoje... nem sei o quê, nem pra quê...
Estou lendo o Sermão do Mandato, do Padre Antonio Vieira, e estou ficando encantada com o amor infinito de Deus. Digo "encantada" e não "cada vez mais encantada" porque falar do amor de Deus e ouvir sobre ele tinha se tornado tão comum pra mim que não havia mais encantamento ou maravilhamento algum... eu sabia com a razão do Seu infinito amor, mas não parava pra pensar no que significa o "infinito" desse amor... estou descobrindo de novo... pelo olhar do Padre...
Estou lendo também Convite à Loucura, de Brennam Manning. Agora que terminei o primeiro capítulo. Busquei ler esse livro porque não aguentava mais fugir de Deus, como eu estava fazendo. Ainda estou lutando contra a imundície de mim mesma pra ser fiel e me expor ao meu Deus. O livro, pelo menos, até agora, tem me ajudado nisso. "Verdade", o título do primeio capítulo, me faz refletir sobre o quanto de verdade há em minhas palavras e atitudes. Chegar-se a Deus implica em olhar pra si mesmo com verdade, reconhecendo quem se é em realidade, ainda que seja uma criatura miserável e infiel como eu.
E, por fim, estou lendo também Alice no País das Maravilhas, tentando encontrar pontos e passagens pra adiantar minha monografia. Ontem à noite, estava lendo Alice na cabeceira da cama e acabei entrando no país das maravilhas quando vi um coelho branco correndo bem à minha frente... rsrsrs! Só que não tive paciência de entrar na toca não... fiquei bem antes... haushaush! zZzZzZzZ.. Alice me encanta, mas as notas ao lado (tenho a edição comentada) às vezes me assustam, com tanta explicação e mistério... só queria ler Alice e falar sobre o livro por ser tão encantador... mas tanta gente dá palpite e quer explicação pra tudo (mania feia de adulto) que o encanto infantil fica camuflado na estória...
Querido Diário, digo, Bloguinho, com todas as suas flores e flechas, deixo você agora para viver a vida real aqui fora (férias não me dão tanta liberdade assim... ainda sou a filha mais velha e tenho o que fazer dentro de casa..). Comporte-se com os meus poucos leitores, portanto.
Com carinho...
Eu

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!