sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Discrição

Costura palavra por palavra
Tim-tim por tim-tim.
Faze um bordado e forra-te o fundo da alma.

Não costures cortina, nem toalha de mesa.
Não faças dela seu cobertor.
Forra-te o fundo da alma.

Palavra bem guardada é tecido-silêncio.
Silêncio é manta de lã.
Forra-te o fundo da alma.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Pele

Basta-me um pequeno gesto, feito de longe e de leve, para que venhas comigo e eu para sempre te leve." 
Cecília Meireles

Não me toques a superfície.
A minha essência sente.

Dedos alheios, olhos displicentes
São-me arduamente insuficientes.

Se me tocas com dedos ásperos
Minhas pétalas caem.

Se me olhas com negligência
A minha alma arde.

Melhor que não me toques.
Melhor que não me olhes.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Amanhã



Olha lá!
Um barquinho no horizonte
Flutuante, segue errante
o seu caminho.

Olha lá!
Pássaros voando ao longe
Vão em bando, céu aberto
rumo incerto.

Olha lá!
O que vem lá?
Não sei, decerto.

Olha lá! O vento sopra!
A areia voa...
E eu me aquieto. 

domingo, 8 de janeiro de 2012

Um+um=1

Penso que o amor seja inteiramente sublime e inteiramente simples.

Como Jesus.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Minha Jumentinha

Inventei de criar uma jumenta.
Tão bondosa era a bichinha!
Acalmava minha alma
Com seus olhos de pombinha.

Mas não era só assim
Que a danada sempre agia.
Era livre que nem águia
E eu atrás dela corria!

O pior eu nem te conto
Que me fez aquela cria.
Quando mais precisei dela
Empacou e eu, na agonia.

Té que um dia foi-se embora
Como passarinho em fuga
E eu que faço agora
Sem aquela criatura?

Eu gostava é muito dela
E da sua companhia!
Dei-lhe um nome de donzela
Batizei-lhe de Poesia.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!