quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Reparo



Eu seria mesmo eu? O que teria acontecido com toda aquela dor? Quis saber, entrei dentro de mim e vi, por uma janelinha quebrada, aquele velho amor, roncando numa cadeira de balanço enferrujada, na sala meio bagunçada da casa um tanto mal cuidada do terreno do interior. O morador adormeceu. E, para completar, tentei usar a torneira, mas me dei conta de que está faltando água na casa. Estou precisando de reparos.

9 comentários:

  1. é sempre muito delicado
    reparar o jardim
    ...

    (mas pra quem tem
    uma orquídea no coração
    há de ser brando o retoque)

    Beijo carinhoso.

    ResponderExcluir
  2. nossa,que texto lindo.
    Acho que sempre precisamos de uns reparinhos,e muitos fazem até bem.

    Quando se renova a alma,faz sorrir,é tudo válido!!

    ResponderExcluir
  3. Não sai mais lágrima. E agora?

    ResponderExcluir
  4. Mima...hora dessas qualquer,o morador mais ilustre deste interior (o AMOR!)acorda, ganha outras formas e repara o cordão umbilical com a vida...

    Tão meu, tão meu, este teu cenário. Simplesmente me deixou lendo e relendo...!!! =)

    ResponderExcluir
  5. O amor está vivo! Ainda há esperança.
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Também vou me levar pro conserto. Aqui a torneira não quer fechar. ;/


    Beijo em tii

    ResponderExcluir

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!