quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Estreito

Cíntia e Sílvia

Quem estreita porta vê
Com estreita visão
Só pode estreitar para si
O que, por si, já estreito é.

Quem pega p'ra provar
O que, pela boca, não deixa passar
Em sua mão, deixa estragar o gosto
Do que de bom sabor lhe seria.

Quem, de longe, tenta alcançar
Aquilo que de si distancia
Só pode ainda alongar
O que, de si, já longe está.

Mas quem percebe a distância exata
E a fim de alcançar, se coloca
E que sorve o que lhe oferecido
Antes que chegue o tempo em que não o mais possa tragar.

E quem estreita porta vê
E, a si, mais que ela, estreito
Descobre que não é escasso
O que aparenta coibir espaço.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!