terça-feira, 13 de setembro de 2011

Futuro


A pergunta, calada,
interfere-me:
Por que não asas?
A corrida, indefinida, 
(di)fere-me.
E eu, de partida,
- (so)corro-me -
choro-me 
feito
corredeira.

Por que não asas?

Porque meus pés.

12 comentários:

  1. Oi Mima! Seu blog é inspirador. Parabéns. Cumprimentos de Lou Moonrise.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Lou! É sempre bom ter você por aqui! Fico feliz que goste =).

    Um beijo,
    Mima.

    ResponderExcluir
  3. Prezada mima! Belo poema! Você joga muito bem com as palavras! Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Obrigada, Cristiano! =) Eu digo o mesmo a seu respeito! Admiro muito o seu blog!

    Abraço carinhoso!

    ResponderExcluir
  5. A poesia pode nos fazer voar, mesmo sem asas.

    Mima, gostei da sua visita e também do seu blog.
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Sônia,
    Fico feliz que tenha gostado do Flores e Flechas. Eu tbm gostei muito do seu! Obrigada pelo comentário! =)Volte sempre que quiser!

    Beijo,
    Mima.

    ResponderExcluir
  7. Devereas criativa. Adorei, minha querida. Beijos beijos. Fique com Deus.

    Au revoir.

    ResponderExcluir
  8. Natalia,

    Agradeço o carinho! Fico feliz que tenhas gostado!

    Beijos!
    Mima.

    ResponderExcluir
  9. Mesmo sem asas, essa poesia voa.
    bjs

    ResponderExcluir
  10. Fabiano,
    Lindo comentário!
    Obrigada! Beijo!

    Bianka,
    Que bom que gostou!
    Um beijo!

    Mima.

    ResponderExcluir
  11. Tua poesia tem asas nos pés! Acredite.

    Abração

    ResponderExcluir

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!