quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Bonita

Meus olhos hoje armaram-me um complô:
Derrubaram-me os maldizeres
Por causa de uma conspiração.

Meu sorriso aberto riu-se de minhas lágrimas
E tudo de mim se voltou contra mim
Sussurrando-me, sim, o que custo acreditar:
Bonita!

Meneando a cabeça, chamo-lhes bobos
E retrucam-me com contentamento
Rindo-se que só eu, o sentido de o ser, 
não entenda: Bonita.

E, então, se não o entendo, consinto-lhes em silêncio:



7 comentários:

  1. Não há nada errado em ter certas satisfações. Às vezes, há perigo. Nesse caso, o silêncio nos ajuda a refletir.
    bjs!

    ResponderExcluir
  2. "Rindo-se que só eu, "
    seu poema doce me riu vc nesta manhã fria

    ResponderExcluir
  3. Fabiano, Ediney,

    Um sorriso se me abre com suas palavras...

    Obrigada por passarem por aqui.

    Beijos,

    Mima.

    ResponderExcluir
  4. Doçura, leveza,
    ritmo e belas
    imagens
    ...

    Beijo carinhoso,
    bonita.

    ResponderExcluir
  5. Como bem diria Marcelo Camelo:

    "Menina bonita bordada de flor"

    Em imagem, fotografia e verso, acrescento eu!

    Beijos, Mima!

    ResponderExcluir
  6. Queridos Domingos e Aline,

    Rubras ficaram-me as bochechas depois do carinho de seus comentários =D!

    Muito obrigada \o/

    Beijos,
    Mima.

    ResponderExcluir
  7. Poema muito bem escrito! Conciso e interessante!

    Parabéns!

    ResponderExcluir

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!