domingo, 25 de setembro de 2011

Alegria


Alegria pode ser palavra monossílaba,
uma mordida na melancia,
uma frase de palavras trocadas.

Alegria pode ser um banco de praça.

Alegria pode ser uma fotografia,
um sapo de língua frouxa,
um passarinho na janela.

Alegria pode ser algodão doce.

Alegria pode ser girar,
pode ser correr,
ou talvez parar.

Alegria pode ser um carrinho de mão.

Alegria pode ser esquecer.
Para alguns, lembrar.
Para outros, ambos, talvez.

Alegria pode ser uma saída.

Alegria pode ser chorar,
calar, dormir, pintar
morrer, nascer, colher.

Alegria pode ser sorvete.

Alegria pode ser um beijo
e pode ser um pedaço de queijo.
Alegria pode ser até desejo.

Alegria pode ser um bocejo.

Alegria pode ser um pão
uma moeda
um fiapo de atenção.

Alegria pode ser João.

Alegria pode ser um telefonema
uma carona
ou um guarda-chuva.

Alegria pode ser um latido na rua.

Alegria pode ser um tapete
um tropeção
uma vergonha.

Alegria pode ser tristeza.

Alegria pode ser um som
uma lâmpada
ou um quarto de escuridão.

Alegria pode ser sangue.

Alegria pode ser nada.
Pode ser qualquer coisa.
Ou tudo.

Pode ser engraçada.
Pode ser um luto.

Pode ser uma flor - ou apenas uma cor.

Alegria.
Pode ser - alegria.
Ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!