segunda-feira, 9 de maio de 2011

Desejos


Tem dias que a gente acorda querendo escrever um conto. Um livro, talvez. Poderia ser uma estória engraçada, algo que arrebanhasse muitos leitores e arrancasse deles gargalhadas despreocupadas. Ou poderia ser um romance, o mais lindo de todos, daqueles que a gente passa a vida sonhando e vendo outros sonharem. Aquele tipo de estória que quase nunca vira história. (Só para alguns poucos, muito poucos mesmo.)

Tem dias que eu acordo querendo escrever uma estória difícil, intelectual e cheia de mistérios indecifráveis. Todas as estórias de mistérios (ou quase todas, eu acho, porque, afinal, admito não ser a melhor leitora do mundo) trazem as respostas deles no final. Eu poderia escrever uma estória nova, por que não? Tem dias que eu acordo querendo escrever um livro de poesia, das mais criativas e bem articuladas, daquelas que trouxessem em linguagem os mais profundos segredos da alma.

Tem dias que eu acordo querendo desenhar, gastar tempo aprendendo a ser artista. Tem dias que me dá uma pontinha de inveja dos que aprendem a vida sozinhos, que deixam de pensar tanto no tempo gasto com as coisas importantes e gastam mais tempo fazendo o que gostam. Tem dias que eu quero bordar vestidos e pintar camisetas. Tem dias que eu tenho vontade de tirar tudo do meu quarto e pintar a parede com as cores e as formas que eu quiser. Mas eu tenho medo de enjoar do que eu faço. Às vezes, isso acontece. Às vezes, eu não faço nada. Tem dias que eu acordo querendo ser colorida. Tem dias que [eu nunca acordo assim.

Tem dias que eu sonho com a vida de Moisés. Dá vontade de encontrar um lugar no meio do nada e cuidar do que realmente importa e gastar tempo ouvindo a voz do Criador. Sonho e anseio por isso. Dá uma vontade de parar tudo, pedir alguns dias de folga ao planeta, que por favor dê um tempo em seus movimentos, que eu preciso pensar. Tem dias que eu não tenho vontade de falar. Tem dias que eu queria só ouvir a voz dEle.

Tem dias que eu tenho vontade de ser palhaço e fazer trabalho voluntário. Tem dias que não.

Tem dias que eu me arrependo das coisas que eu fiz. Tem dias que o que mais me incomoda são as coisas que eu não fiz, porque tive medo, porque tive vergonha, porque entendi errado, porque fui covarde, porque me traí, porque tive receios.

Tem dias que eu tenho vontade de inventar a máquina do tempo (ou encontrar o inventor dela - pode ser que já até exista. Quem sabe?) para voltar alguns anos ou alguns segundos e fazer tudo diferente. E não deixar de fazer o que eu penso que é certo. Mas também tem dias que eu queria entender a força do perdão e me sentir novamente pronta pra acordar livre.

O amor me assusta, mas tem dias que eu tenho vontade de amar intensamente. Tem dias que eu queria tanto sentir que sou muito e muito amada... a mais amada do mundo! Tem dias que eu repudio romances, odeio a palavra amor e tudo que se relaciona a ele, me irrito com qualquer que ouse falar sobre o assunto. Tem dias que eu acho que tudo o que me disseram não passa de uma grande e infeliz mentira. Tem dias que eu fico sonhando e imaginando as possibilidades de ser tudo a mais linda e perfeita verdade.

Tem dias que eu tenho vontade de escrever um livro sobre mim. E fico imaginando que se as pessoas conhecessem o que sou, poderiam querer viver para sempre comigo. As pessoas poderiam se apaixonar por mim! Veriam a poesia que corre em minhas veias, o amor que palpita junto com meus batimentos cardíacos, a vontade que tenho de ser feliz e ver as pessoas feliz. Tem dias que eu desejo rasgar cada página de meu diário, para que nunca vejam quem eu realmente sou.

Se você parar para pensar, amanhã e todo dia teremos uma ardente vontade de viver com plenitude, e saberemos, mesmo assim, que esse desejo vai sempre se cruzar com a cura que queremos ter, com a insatisfação que sempre existirá, queimando terrivelmente dentro de nós. O que poderia ter sido diferente? O que não tem mais solução? E estamos cansados de saber que os 'porquê's e os 'para quê' muitas vezes não vão nos guiar para uma resposta, mas para outras perguntas: 'O que faço agora?' 'Como?'

Tem dias que eu queria que muita coisa tivesse acontecido diferente. Tem dias que eu só queria que tudo mudasse daqui para frente. Mas também tem dias que eu queria sentir que nada precisa mudar, que tudo está em seu devido lugar, que não preciso de mais nada e que a vida acordou de bom humor e está dançando para mim, simples, plena e lindamente, como tem que ser.


Tem dias que eu tenho saudade de Ti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!