terça-feira, 17 de maio de 2011

Borboleteio



Leve menina se liberta do zulo, casulo de repousar 
Silenciosa, quer se mostrar 
a vaidosa a voar
Imantar os meus anseios da dor das asas negras
Da borboleta o espelho, de amores que expiram cedo
A folha, a corredeira leva, a árvore não cairá
O derradeiro, primeiro dia que há
Breve, atreve terminar no principiar
Borboleteio, lhe almejo emoldurar
Dança na fuga pra ver o seu único luar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!