sábado, 23 de julho de 2011

Primeiro Vôo - Parte I



Assustada com a expectativa do primeiro vôo, abraçava e ouvia as palavras de encorajamento dos meus pais, dos tios, da minha avó e da minha amiga-irmã. Eu estaria sozinha em poucos segundos, esperando o embarque na sala apropriada. Meus olhos estavam atentos ao número do bilhete e a tudo o que me cercava ali, na sala de tensão. Sentei perto de duas menininhas, que estavam acompanhadas pela mãe. Timidamente, sorri para elas e me acheguei à mãe. Perguntei-lhe: "Com licença, moça... O seu vôo é o 1431 também?" "Deixe-me ver... é, é sim. Daqui a pouco, eles anunciam nosso embarque." respondeu cordialmente. Agradeci-lhe e voltei ao meu lugar, observando tudo atentamente. De repente, o anúncio.

"Os passageiros do vôo 1431..." Fiquei de pé. O anúncio dizia para que formássemos duas filas. Assim fizemos e, finalmente, entrei no avião.

Eu estava com medo, mas, ao mesmo tempo, encantada com tudo. Eu estava em um avião!

Achei o meu lugar. Observava tudo. As comissárias de bordo, os comissários de bordo, o piloto, a cabine do piloto com a porta entreaberta, os passageiros que entravam, o aeroporto do lado de fora da janela.

Senti-me grata a Deus porque as pessoas que sentaram ao meu lado foram muito legais comigo. Uma delas já havia voado desde a infância. Então, ela me tranquilizou e me fez apreciar a viagem. Foi ótimo tê-las conhecido. Deus estava comigo através desses pequenos gestos de delicadeza.

O vôo é, então, anunciado. Estava nervosa e temerosa. Quanto maior a velocidade do avião para alçar vôo, maior a força que eu fazia ao fechar meus olhos. E sem que eu notasse o como ou o quando, eu via tudo ficar pequenino lá de cima. Foi simples e encantador. Eu estava voando... Voando... como nos desenhos que eu fazia quando eu era criança, como nos filmes que eu via... Como na canção Aquarela, eu ia voando, contornando a imensa curva, norte-sul... Foi lindo.

Eu não posso esquecer de dizer: sim, as nuvens são mesmo de algodão. Eu vi! Ainda não provei. Então, ainda não posso dizer que são de algodão-doce. Mas que são de algodão, são.

E toda essa viagem me fez pensar no cuidado de Deus. Ele não me deixou sozinha em nenhum momento. Eu estava sob os Seus cuidados, tendo tudo providenciado para que eu me sentisse segura. E eu vi o céu. Eu pensei: se esse céu é tão lindo assim, deve ser a melhor coisa do mundo conhecer o Céu, o lar preparado para mim. Em pensar que tudo isso foi feito e projetado pelo Senhor do Céu... que bênção que eu possa estar viva para admirar tudo isso, para estar um pouco mais perto de Sua glória e paz.

Eu tive medo de morrer. Passei a viagem inteirinha lutando contra esse medo. É que eu não entendia que o Senhor me ama e que, estando com Ele, a morte e a vida são a mesma coisa. É que eu não compreendia que não era necessário que eu reprisasse todos os meus pecados e concluísse que ainda não estou digna do Céu, porque eu nunca serei digna, por mais que o tempo passe e por mais que eu me esforce. É que eu simplesmente não havia entendido que o Senhor me ama e já não olha mais para o que eu faço de errado, porque Ele me olha através do Seu Filho, Jesus.

"Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro." Filipenses 1.21

(...)"Ele nos perdoou todas as transgressões, e cancelou a escrita de dívida, que consistia em ordenanças, e que nos era contrária. Ele a removeu, pregando-a na cruz (...)" Colossenses 2.13b e 14a.


2 comentários:

  1. saudade de você, acho q muita! lembrei muito de ti no CF, das agendas pessoais fora de hora q sempre tivemos, dos seus olhões grandes e lindos, que riem sinceramente ou são tão sensíveis ao outro, a mim...
    Não cumpri minha promessa de te ver, nem dei notícias, mas você tava comigo esses dias, inesplicavelmente.
    Ainda vou te ver, pra olhar nos seus olhos e te abraçar apressada e intensamente. Quero vê-la, coração. Vc, mas do que qualquer outra, é coração, uma arco-íris de cores frias e quentes que transbordam a alma. E eu, eu só te admiro e aprendo, dia-a-dia, a ser honesta tbm nos sentimentos e me rasgar de qlqr máscara, de todas as máscaras. nem sei se esse é o melhor lgarde te dizer tudo isso, mas é aonde eu encontro mais vc e, qro q saiba, eu adoro te visitar.
    Não sei muito amar, mas eu sei que te amo.
    saudade de ti, minha flor de laranjeira
    beijo
    te amo

    ResponderExcluir
  2. Que lindo seu primeiro voo! Como não poderia deixar de ser. Esse seu encantamento com o céu e deslumbre com as coisas que o Senhor fez me lembrou de um texto que eu li essa semana. Falava de que nos tornamos aquilo que contemplamos. Continue contemplando o céu, Mima.

    Beijo!

    Espero o diário de bordo. ;)

    ResponderExcluir

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!