quinta-feira, 14 de julho de 2011

Lágrima


Oh lágrima insegura!
Oscilando na linha tênue
Respira as lembranças de um tempo
Compenetrando-se no presente.

Oh lágrima insegura!
Rio de minha amargura!
Equilibra-te entre o outrora
E as surpresas de outra hora.

Oh lágrima insegura!
Insepulta!

Até a coitada chora por não saber.

3 comentários:

  1. Incrível, Mima, como teus textos se adequam ao que sinto no momento.
    PS: vc recebeu algum email meu?

    Abraço apertado.

    ResponderExcluir
  2. Lágrima vive na corda bamba, escorre, vacilante, pelas linhas das bochechas, seu horizonte.

    Tristemente belo, como todo poema verdadeiro.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. lágrimas, lágrimas... lágrimas que banham a alma... é assim que as minhas têm feito comigo ultimamente! Adoro seu blog... :)

    ResponderExcluir

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!