quinta-feira, 22 de outubro de 2009

minha poesia triste

Ecoam tons menores
Eu os absorvo
Lentamente

Corpo entregue aos tons
Melancolia latente
Um ser ausente

Noite fria e quieta
Meu corpo ao chão
Silenciosamente

Mundo em redor
Meu tempo mudo
O céu à frente

Imenso azul
Estrelas dele
E eu, envolvente

Meu mundo ali
Poema assim
Que me acorrente

Tempo à parte
Parte de mim
Tristemente

Melodia de mim
Silêncio ali
Tão-somente

Céu e eu
Estrelas e eu
Eu, semente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!