sábado, 11 de julho de 2009

Palavra à alma preguiçosa:

(Vai ter com a formiga, ó preguiçosa)
Eu:
Podes me explicar por que causa, motivo, razão ou circunstância fazes isso contigo? É... tenho que reclamar! Não tem jeito! Por que te encontro sempre no lugar do descanso e do entretenimento quando deverias estar com as mãos no arado? Podes me explicar que moleza é essa que rege a tua vida e a destrói? Que bagunça é essa que oculta até a ti mesma? Onde estás? Em algum lugar dentro da bagunça... sei... em algum lugar dentro do tempo desperdiçado, da oportunidade perdida, da culpa, da inércia, do medo, do fracasso, dos receios. Sei, sei... Sempre as mesmas desculpas. Informo-te, ó tu, alma preguiçosa que jás no passado, tu, exatamente, de um lugar no futuro... pobre alma és e me tornaste no caco que hoje sou. Sei... você nem imaginava... cá estás, estou, estamos. Sinto muito.

Bravamente,

tu, alma preguiçosa, e toda o teu resultado.

2 comentários:

  1. nossa, muito tocante esse seus texto amigah! Verdadeiro, verdadeiro...beijos!
    bom CF para vc...Jesus esteja presente para que vcs aprendam mais e mais p/ servi-lo em todo tempo e lugar...:)

    ResponderExcluir
  2. Adorei o blog, fantástico mesmo. Estarei sempre por aqui baby, pode ter certeza. Bjos do Thio Ronaldo

    ResponderExcluir

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!