terça-feira, 7 de julho de 2009

O amor verdadeiro existe!



(Homenagem à minha doce amiga, Aninha.)






Se das cores amareladas do passado,
Envelhecidas em mágoas, dores, desilusões,
Perdido se encontra o coração,
Ancorado no silêncio solitário,
Oceano sombrio e denso,
onde repousa a solidão;
Se ao coração o que sobra é a sobra,
um vazio azul e mais nada,
Se ar puro já te falta,
E a esperança se transforma em demora,
espera de um sonho ilusório,
que não vem, que não vem...
Se o sonho já virou lenda,
e paixão é mito de aventureiro,
se o que colhes é o que já tens,
e o medo do que pode vir
envolve os pesadelos da noite,
e o risco do que vem além
é tormento e agonia só;
Se os olhos, cheios em luz,
desconhecem o brilho seu,
e o todo que encobrem é só a areia do mar
nas regiões abissais,
e impedidos estão de descobrir luz,
e ar puro
e cores vivas...
e o arco-íris virou lenda,
coisas de sonhadores...
Ponho a mão em teu queixo,
com sua licença, dama,
e convido-te a erguer o olhar.
Se esperança não mais havia, hoje a ti presente é.
E se com teus olhos não podes ver,
com o coração confirmarás,
o amor é concreto,
existe e te é dado,
presente ofertado,
do próprio Amor;
Se és pequena e frágil,
e ancorada estás,
liberta-te, pequena,
liberta e vai.
Vai ao encontro da luz,
do ar que está lá em cima,
das livres ondas que vão te guiar,
aos lugares de amar...

Um comentário:

  1. Lindo texto Esmirna
    sensível
    cheio de esperança!!!
    sim, esperança!

    palavras cheias de sabor advindas diretamente do país de Mossoró...

    bjokas

    ResponderExcluir

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!