domingo, 6 de novembro de 2011

Por quê?



Será que foi meu rosto assimétrico?
Ou minha pequena estatura?
Ou meu cabelo curto?

Será que foi minha visão política?
Ou o lugar onde moro?
Ou o fato de eu não comer cebola?

Será que foi o tamanho do meu amor?
Ou a quantidade de beijos que eu dei?
Ou os presentes que eu mesma fiz?

Será que foi a minha iniciativa?
Ou o meu cuidado?
Ou a minha poesia?

Será que foi algum esquecimento?
Ou o meu sonho de 'pra sempre'?
Ou o fato de eu já estar em suas mãos?

O que será que fez o meu amor ir embora?

3 comentários:

  1. ah, perguntas!!! questões, às vezes, são mais interessantes que as respostas!

    massa o poema!

    ResponderExcluir
  2. Será que vale a pena fincar estas adagas em formas de questionamentos?
    Sigamos em frente!

    Muita paz!

    ResponderExcluir
  3. Mima querida,

    um dia me fiz esta pergunta... Espero a resposta há anos, aliás, desconfio que ela não venha mais. Mas agora penso que amor é assim mesmo, não tem motivo de chegada e nem de partida. Vem para fazer-se poesia, só!

    Beijos!

    ResponderExcluir

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!