terça-feira, 2 de setembro de 2008

Você

um doce em embalagens rústicas
um doce meio-amargo

uma aspereza, um vazio
um coração tão cheio

de nem sei o que
poesia

aquelas coisas que eu entendo
que nem sei se entendo bem
que não tenho idéia

uma lembrança certa
inquieta
um silêncio que insiste em se pronunciar

um passado ambicioso
que não se contenta com o que é

uma incerteza, uma dúvida
amor

palavras, falsas certezas
palavras, ondas vãs
que vem e vãs

e eu nem pedi nada
e eu nem disse nada
mas eu sabia que você sabia
porque você não sabia que também queria

enfim, palavras
flores e flechas
tão incertas

intimidade, aconchego
amor
era o anseio

mas o oceano levou
pras ondas de nenhum lugar
e o doce meio-amargo
que era doce se acabou

Um comentário:

  1. A ausência de pontos finais
    não ajuda a definir "Você".

    Um doce de poema.

    ResponderExcluir

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!