quarta-feira, 28 de julho de 2010

Amigos d'alma

Esperança vez em quando faz bagagem
Expira cansada e sai pela estrada.

Esperança corre desorientada
Fugida, perdida, desolada.

Esperança se lembra do tempo que foi
Recua... mas nem sempre retorna.

Esperança espera exausta pelo caminho
Encontrar perdão, que se perdeu sozinho.

Esperança e perdão separados
Dois universos despedaçados.

Esperança e perdão de braços dados
Descanso e força aos sonhos traçados.

Para vida existir, perdão.
Esperança, para a vida seguir.

Um comentário:

  1. Teus poemas sempre são lindos, e minha presença já é cativa por aqui faz tempo...
    TE AMO Mima!
    Saudades imensas!!
    Um beijão!

    ResponderExcluir

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!