sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Ao que criou flores...


Se em poesia pudesse
Descreveria em versos livres
Se poeta ao menos fosse
Eu diria em rimas tristes

O que não sei dizer
Pra alcançar o Seu querer
O que não sei fazer
Para ser melhor ser

E, a despeito desse sofrer
Errante caminho seguindo
Lá vem elas, em manhã
Lentamente, vão surgindo...

Margaridas, lírios
Rosas... flores desse jardim...
Como não pude vê-las
Com tantas cores assim?

Sussurram... suspiram
Cantam em uníssono
A mim, mais parecem gritos
De tão claro aos meus ouvidos

Vê-nos, observa-nos - dizem elas
Enxerga nossas cores
Tão belas

São cuidados, amor
De quem nos criou
Amor

Sorri, pois, pequena flor
Observa tua cor...
Amor

Posto que te conhece
O Sábio Criador...
Posto que te formaste
Conhece a tua dor...

Sorri, pequena flor
Aprende o nosso cantar...
Encolhe-te em botão...
Para, enfim, desabrochar...

2 comentários:

  1. lindinha, q bom vc aqui com um espaço na net. que papai do céu nos use muitooooo nesse mundo virtual onde algumas pessoas se camuflam!
    Deus te abençoe e te guarde...junto com sua familia...beijos doces no seu coração miga menor que eu!

    ResponderExcluir

Lança uma flor ou uma flecha. Só não passes por aqui sem deixar-me um pouco de ti.

Imagens

http://photo.net/

google/imagens

Visitantes

Seguidores

No jardim...

Siga-me por email!